Quebra de sigilo de Maluf é questão de justiça, diz Marta

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), disse hoje que a quebra dos sigilos bancário e telefônico do ex-prefeito Paulo Maluf (PPB), determinada ontem pelo juiz-corregedor Maurício Lemos Porto Alves, é "uma questão de justiça". Para ela, as investigações nas contas do ex-prefeito e de seis parentes devem ser feitas com cuidado. "Espero que ela (quebra do sigilo) dê uma resposta satisfatória a todos os paulistanos e que se investigue direitinho", disse.A troca de farpas entre Marta e Maluf estendeu-se para o depoimento do ex-prefeito na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Dívida Pública, realizado ontem. No questionamento, Maluf provocou a petista, ao lembrar o crescimento da dívida municipal, em R$ 2,6 bilhões nos seis primeiros meses de governo. Ao rebater, Marta preferiu atacar o governo federal. "O crescimento da dívida da Prefeitura tem a ver com os juros do governo federal e com a incapacidade do governo em fazer uma política econômica que não deixe afundar o País", afirmou. Ela disse que, por conta dessas dificuldades de negociação com o governo federal, os municípios e, principalmente as grandes cidades, encontram-se em dificuldades. "Os municípios ficaram num estado de pobreza e invalidez."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.