Queda de árvore interdita a Anchieta em São Paulo

A forte chuva que atingiu a cidade de São Paulo na tarde deste sábado provocou a queda de uma árvore na Via Anchieta, altura do número 1.290, na Zona Sul, causando 4 quilômetros de congestionamento, com reflexos, inclusive, no trecho administrado pela Ecovias. O incidente fechou as três pistas da via para o tráfego no sentido Capital, além de uma das pistas no sentido inverso, no trecho entre as ruas Souza Coutinho e Salvador Pires.Apesar da lentidão no trânsito, e do corte de fornecimento de luz e telefone - por conta do rompimento dos fios -, não houve feridos, já que, no momento da queda da árvore, o semáforo estava fechado e nenhum carro ou pedestre transitavam por lá. Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas para serrar a árvore e liberar a via.Quem procurava alternativas para fugir da lentidão do trânsito na região e optou pela Rua Fausto - paralela à Avenida Anchieta -, também foi pego de surpresa. Uma outra árvore que caiu quase no mesmo instante, a cerca de cem metros dali, na esquina com a Rua Belgrado, causou interdição da rua, contribuindo com a lentidão do primeiro acidente. A CET montou um esquema de desvio para os carros de passeio, já os caminhões tiveram de aguardar até as 18h30, quando duas faixas foram liberadas. O fornecimento de energia elétrica foi restabelecido por volta das 19h.Além de todos os problemas provocados na Anchieta, os 15 minutos de chuva na Capital também castigaram outras regiões com a queda de árvores. Segundo o Corpo de Bombeiros, até as 15h (período em que o temporal foi mais forte), pelo menos, 11 árvores caíram em cima de carros, casas e ruas. Ainda de acordo com a corporação, não houve registro de vítimas. Apesar dos transtornos, a chuva trouxe de volta os altos índices de umidade relativa do ar, que ficaram na marca dos 40%, com pico de 80% na região central da Cidade, como informou o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). No início da última semana, os paulistanos enfrentaram dias de deserto. Entre segunda e quarta-feira, as médias de umidade ficaram na casa dos 18%, sendo que o mínimo considerado não prejudicial pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é 30%. Para este domingo, as previsões do CGE são de mais pancadas de chuva forte, principalmente à tarde, depois das 15h.

Agencia Estado,

10 de março de 2007 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.