Queda de balão atmosférico assusta moradores

Um balão atmosférico, lançado em Bauru (343 quilômetros a noroeste de São Paulo), na noite do último domingo, caiu nesta segunda-feira emCuiabá Paulista, na região de Presidente Prudente, assustando agricultores da região.O artefato faz parte do programa Projeto Hibiscus, desenvolvido por Brasil, França,Argentina, Inglaterra e Itália, para a medição do comportamento da camada de ozônio, e sua descida deu-se após o cumprimento do tempo previsto de medição.Após subir, o conjunto voou algum tempo à altura de 31 quilômetros e, depois deconcluir as medições previstas, teve o vôo abortado, com os equipamentos descendoprotegidos por pára-quedas.Sete balões de pesquisa atmosférica foram lançados de Bauru nos últimos dias. Trêspara vôos de curta distância (os outros dois caíram na região de Marília) e outros quatroconcebidos para dar a volta ao mundo. Destes, de longo curso, um apresentouproblemas no lançamento e desceu no próprio município de Bauru, outro caiu na regiãode Garça e outros dois seguem vôo, devendo sair pela região do Pacífico Sul.Um deles tem previsão de passar de volta sobre o território paulista no dia 7 de março, após terdado a volta ao planeta. O diretor do Instituto de Pesquisas Meteorológicas de Bauru (Ipmet), Maurício D´Agostinho Antonio, disse que, apesar dos avisos emitidos para a população regional,os equipamentos de precisão resgatados na região de Presidente Prudente sofreram danos causados pela curiosidade das pessoas, que tentaram desmontá-los.O Projeto Hibiscus começou em 1995, com o lançamento de balões em Bauru e já apresentou muitos elementos para a preservação da camada de ozônio. No próximo ano, novos balões serão lançados a partir de Bauru, desta vez também com a participação da Agência Espacial Alemã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.