E Wayne Ross/AP/AE
E Wayne Ross/AP/AE

Queda de balão na Turquia mata três; brasileira está entre as vítimas

Nacionalidades dos outros dois mortos ainda não foram confirmadas pelas autoridades turcas e brasileiras; 25 pessoas estavam no balão, que tinha outros passageiros do Brasil a bordo

Andrei Netto, O Estado de S. Paulo

20 Maio 2013 | 10h46

Atualizado às 15h08

PARIS - O acidente aéreo envolvendo dois balões no sítio histórico de Capadócia, na região central da Turquia, deixou pelo menos uma brasileira e outros dois turistas mortos, de acordo com a embaixada do Brasil na capital, Ancara. Agentes de viagem locais afirmam aos orgãos de imprensa que as outras duas vítimas também são brasileiras, mas as autoridades ainda não confirmaram suas identidades e nacionalidades. A tragédia ocorreu após o choque entre dois balões de passageiros, que resultou na queda de um deles.

O acidente aconteceu pouco depois das 6h no horário local, 23h de domingo em Brasília, em Göreme, vilarejo histórico da Capadócia, na província de Nevsehir. Imagens feitas por cinegrafistas amadores e distribuídas pela internet mostraram o momento da queda do balão, que chega ao solo parcialmente desinflado e em alta velocidade.

De acordo com Antonio Carlos Antunes, conselheiro da embaixada do Brasil em Ancara, 25 pessoas - 24 turistas e o piloto - estavam a bordo do balão que caiu após a colisão. "Neste momento podemos confirmar uma morte. A outra ainda depende de confirmação", disse o secretário, que não revela o nome da vítima. Segundo Antunes, outros seis brasileiros ficaram feridos.

Uma das dificuldades para reunir informações é que parte dos turistas não trazia documentos consigo no momento do passeio. Por isso a embaixada adota a cautela, mesmo que o governador da província de Nevsehir, Abdurrahman Savas, tenha confirmado duas mortes à agência France Presse (AFP) na Turquia, citando os nomes de duas turistas brasileiras com 71 anos e 65 anos.

A pedido da embaixada do Brasil, porém, o Estado não publica as identidades até a confirmação oficial. Em entrevista à AFP, Savas comentou as circunstâncias da colisão. "Segundo testemunhos, o acidente foi causado por um choque entre o balão que subia e o cesto de uma outra aeronave. O balão que subia foi rasgado e caiu rapidamente", afirmou, esclarecendo: "A maior parte dos feridos sofreu fraturas".

A embaixada do Brasil enviou representantes à Capadócia para prestar auxílio diplomático às vítimas do acidente. As autoridades de aviação civil da Turquia, de sua parte, informaram ter aberto uma investigação para apurar as causas e responsabilidades pela tragédia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.