Queda de elevador que matou 9 na Bahia foi por falha de manutenção

Laudo apontou que construtora não realizou os reparos no equipamento que caiu em Salvador

Tiago Décimo , O Estado de S. Paulo

06 Outubro 2011 | 15h24

SÃO PAULO - Laudo da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego da Bahia (SRTE-BA) sobre o acidente com o elevador de um edifício em construção de Salvador, que despencou de uma altura de cerca de 60 metros, matando os nove operários que ocupavam a cabine, em 9 de agosto, apontam que o acidente foi causado por problemas na manutenção do equipamento.

A conclusão, apresentada na manhã desta quinta-feira, 6, na sede do órgão, é a mesma à qual chegou o Departamento de Polícia Técnica (DPT), em laudo apresentado no último dia 23.

Nos dois casos, a Construtora Segura, responsável pela obra, é acusada de não ter realizado corretamente a manutenção do equipamento. A suposta negligência teria feito com que peças como o eixo, que se rompeu por "fadiga", e o excêntrico, parte do sistema do freio de emergência que não funcionou por "desgaste", falhassem, propiciando o desastre.

O relatório foi encaminhado à Polícia Civil e ao Ministério Público e deve fornecer mais subsídios para a acusação contra o proprietário da construtora, Manoel Segura Martinez. De acordo com a delegada Jussara Souza, da 16ª Delegacia (Pituba), à frente do inquérito, ele será indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar), por causa dos problemas encontrados no equipamento.

A construtora nega que tenha havido negligência ou imprudência na manutenção do elevador, afirmando que o equipamento "funcionava dentro das normas técnicas, de segurança e manutenção" e que "a obra era fiscalizada pelas autoridades competentes, sendo executada em observância das normas de segurança vigentes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.