Queda nas pesquisas muda estratégia de campanha de Alckmin

O conselho político do candidato à presidente, Geraldo Alckmin (PSDB), vai reforçar a campanha em duas direções, na tentativa de recuperar a queda das últimas pesquisas de intenções de voto: dar ênfase à agenda social e ao combate à corrupção. A idéia, segundo o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) é divulgar as propostas do candidato para atacar essas duas frentes. Como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem muito apoio nos segmentos mais carentes da sociedade, o comando político de Alckmin acha que é preciso reforçar a agenda social do candidato tucano.Em relação a corrupção, os dirigentes do PSDB, PFL e PPS vão estar presentes na apresentação do relatório da CPI dos Sanguessugas. Além disso, eles pretendem criar propostas para combater a corrupção no País. "Há alguns segmentos da população que ainda não entenderam bem o que foi o ano de 2005. Porque às vezes a informação chega lentamente a alguns setores e a outros não", disse Dias. Em relação a queda do candidato tucano nas pesquisas, Alvaro Dias reconhece que isso pode produzir desestímulo em algumas áreas que sustentam a campanha. "Mas precisamos trabalhar para construir a imagem do candidato na mídia. Neste momento as pesquisas podem até desanimar alguém, mas não podemos nos orientar por elas", afirmou Álvaro Dias, acrescentando que não houve mudança de estratégia na campanha por conta da queda significativa do candidato nas pesquisas CNT/Sensus e Datafolha, divulgadas nesta terça-feira, 8.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.