Quem economizar água em SP vai ganhar desconto

O morador que economizar água receberá um prêmio da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp): terá um desconto na conta proporcional à quantidade que economizou. A quantidade e o porcentual do desconto serão anunciados hoje pelo governador Geraldo Alckmin, durante visita à Represa do Jaguari, principal formadora do Sistema Cantareira. O nível de Jaguari chegou a zero. O sistema é responsável pelo abastecimento de 9 milhões de pessoas, residentes na capital e municípios da Grande São Paulo. A decisão vai ser adotada com o objetivo de retardar o máximo possível a decretação de racionamento no Cantareira, já que a campanha publicitária de conscientização do uso racional da água desenvolvida pela Sabesp não está conseguindo estimular a população a economizar. A intenção da campanha Olha o Nível, com anúncios na televisão, outdoors e colocação de faixas nos principais cruzamentos da cidade, era conseguir que os moradores da Grande São Paulo reduzissem o consumo em 25%. Até agora, no entanto, só se conseguiu uma economia de 10%. Além disso, tem chovido pouco na bacia dos rios que formam o Cantareira, principalmente do Jaguari e do Cachoeira, cujas nascentes se localizam no sul de Minas. Para se ter uma idéia de como as precipitações estão irregulares, basta ver que, enquanto o Sistema Alto Tietê acumulou nos nove primeiros dias do mês 194,2 milímetros - 11,4 mm a mais que a média histórica -, o Cantareira recebeu apenas 26,9 mm, 15% abaixo da média da região. Chuva O Sistema Cantareira operava ontem com 17,1% de sua capacidade de armazenamento, muito abaixo dos 40% que os técnicos esperam até o fim do mês para que não haja racionamento. Para que esse nível seja atingido, os técnicos da Sabesp aguardam que as chuvas nas próximas semanas e em abril se intensifiquem, a exemplo do que aconteceu em 1991, quando choveu cerca de 470 mm em março. Eles esperam também que, em abril - início do período de estiagem, quando as precipitações diminuem consideravelmente, apresentando uma média de 69 mm - chova como em 1983. Naquele ano, as precipitações chegaram a 210 mm. Como não é certeza de que essas chuvas se repetirão, a Sabesp preferiu investir mais na economia de água. "Vamos passar do trabalho de conscientização do uso racional para uma campanha mais agressiva de incentivo concreto, beneficiando financeiramente o consumidor que não desperdiçar água", explicou um técnico da empresa. Os sistemas Guarapiranga (46,1%), Alto Tietê (34,9%) e Alto Cotia (37,7%) estão próximos ou um pouco acima dos 40% previstos pela Sabesp para que não seja preciso impor o rodízio no abastecimento durante o período de estiagem. Os sistemas Rio Claro e Rio Grande são os que se encontram em melhores condições, pois atingiram nível suficiente para manter o abastecimento durante todo o ano. O Rio Claro estava ontem com 101,7% de sua capacidade e o Rio Grande, com 95,3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.