Quércia diz que PSDB fez ´intervenção criminosa´ no Banespa

O candidato do PMDB ao governo do Estado de São Paulo, Orestes Quércia, afirmou hoje que os tucanos fizeram uma "intervenção criminosa" no Banespa, ao privatizarem o banco em 2000, na gestão governador do PSDB, Mário Covas, morto em 2001. A afirmação de Quércia foi feita após palestra no encontro de sindicalistas com candidatos ao governo do Estado, promovido na tarde desta segunda-feira, 31, pela Força Sindical e Sindicato Nacional dos Aposentados, na capital paulista.Quércia disse que, se for eleito, vai "refazer" o Banespa, através do fortalecimento da Nossa Caixa. "Vou restabelecer o Banespa em São Paulo, fazendo da Nossa Caixa um instrumento de financiamento de pequenas e médias empresas."Na avaliação do peemedebista, a privatização do Banespa foi "um crime" com o Estado de São Paulo, porque o governo ficou sem um instrumento eficiente de financiamento.PromessasEm palestra aos líderes sindicais, Quércia prometeu também reavaliar os contratos de concessão das estradas, por causa do grande número de pedágios existentes nas rodovias paulistas.O candidato disse também que, se for eleito, não terá receio de entrar na guerra fiscal para atrair empresas para o Estado. "Enquanto não houver lei nesse sentido vou entrar na guerra fiscal."O peemedebista disse que vai rever também o método de progressão continuada nas escolas públicas. Este instrumento, adotado no governo tucano de Mário Covas e Geraldo Alckmin, foi classificado por Quércia como "uma ignorância continuada", porque, na sua avaliação, os alunos passam de ano sem aprender nada.Na área da segurança pública, o candidato do PMDB prometeu criar a Secretaria do Menor e do Adolescente. "Precisamos fazer prevenção, porque a Febem é uma fábrica de crimes", reiterou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.