Quércia pede ao PMDB que investigue seus sanguessugas

O candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Orestes Quércia, disse que conversou nesta sexta-feira com o presidente do partido, Michel Temer, pedindo a ele a abertura de investigação interna para apurar a participação de deputados e prefeitos no escândalo das compras de ambulâncias. Segundo Quércia, o partido tem por obrigação punir os deputados e evitar que eles se candidatem nas eleições.O candidato adotou o uso de comícios relâmpagos para chamar atenção dos eleitores em cidades do interior e afirmou que o PMDB vai punir seus correligionários envolvidos nas irregularidades das compras de ambulâncias desvendadas na Operação Sanguessugas.Nesta sexta-feira, o candidato usou o carro de som que o acompanhava nos passeios pelo centro das cidades visitadas para improvisar comícios de cinco minutos e tentar expor, de forma rápida, seu plano de governo. Os comícios relâmpagos foram em São José do Rio Preto, Tanabi e Mirassol, na região Noroeste do Estado. Nas rápidas intervenções, Quércia prometeu melhorar a segurança pública, depois de culpar o governo do PSDB pela crise no setor. "Vamos agir com pulso firme. No meu governo, quando entrei, a segurança pública era a prioridade numero 1, quando sai, era a quarta", afirmou num dos comícios relâmpagos, na praça Rui Barbosa, em São José do Rio Preto.Em Mirassol, Quércia acrescentou que a intenção é extinguir a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e agregar todos seus quadros à Secretaria de Segurança Pública."Não podemos admitir que a PM seja proibida de entrar nos presídios, cujos diretores não podem ser mais contratados com indicação política. Vamos colocar funcionários de carreira nesses cargos", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.