Quinta madrugada de transtornos em Cumbica

A madrugada deste domingo, véspera de natal, foi a quinta marcada por transtornos no salão de embarque o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Com 49 vôos atrasados até a manhã deste domingo, os passageiros enfrentaram dificuldades como a inexistência de lugares suficientes para sentar e a falta de higienização dos banheiros, que tiveram sua manutenção afetada pelo grande número de pessoas que circulavam pelo local. No sábado, tanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva quanto a direção da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) garantiram que a situação caminharia para a normalidade neste domingo. Segundo a rádio CBN, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, ao menos 3 vôos da TAM atrasaram na madrugada. Um teria sido cancelado. Em Cumbica, um outro problema sentido pelos passageiros foi o fechamento do setor de lanchonetes da área de embarque durante a madrugada. Muitas pessoas reclamavam por não ter o que comer.Por volta das 3h10, foram oferecidos aos passageiros lanche, copos de água e latas de refrigerante, mas o número de pessoas era tão grande que não deu para todos. A preferência foi para os idosos, grávidas e crianças. Por vários momentos houve bate-boca com funcionários. Um funcionário da TAM chegou a perder a compostura e teria tratado mal os passageiros.A TAM garantiu que irá reforçar suas equipes no aeroporto para evitar novos desentendimentos ao longo deste domingo. A empresa, que teve a venda de bilhetes suspensa por causa dos transtornos provocados pelo overbooking, só poderá voltar a comercializar passagens na segunda-feira.Somente depois que um grupo de passageiros formou uma "comissão" e foi até o balcão da TAM, do lado de fora da área de embarque, é que a situação se resolveu. Uma gerente da TAM divulgou uma lista com os vôos programados para chegar no Aeroporto durante a madrugada. Assim que chegavam, as aeronaves eram limpas, reabastecidos e decolavam novamente.Por volta das 3 horas, os passageiros que estavam aglomerados no chão na área de embarque foram transferidos para o terminal 1, muito maior, com espaço para todos ficarem sentados. No sábado, o presidente da Anac, Milton Zuanazzi, afirmou que, para evitar problemas ao longo da semana que antecede o ano-novo, a agência irá fiscalizar o setor de reservas das companhias aéreas para identificar eventuais descompassos entre o número de bilhetes oferecidos e a quantidade de assentos disponíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.