Quintão responsabiliza PF por contrabando de armas

O ministro da Defesa, Geraldo Quintão, admitiu que o País sofre sérios problemas de contrabando de armamentos militares, principalmente em regiões fronteiriças. Ele, porém, deixou claro que o policiamento das fronteiras é de responsabilidade da Polícia Federal. "Às Forças Armadas cabem a defesa da fronteira. O policiamento é uma definição constitucional estabelecida para a Polícia Federal", argumentou.Quintão reconheceu a necessidade de haver maior integração entre os organismo de inteligência das Forças Armadas e da Polícia Federal. "O trabalho de inteligência tem sido incentivado dentro do Exército. Temos que aprofundar a integração com a polícia", admitiu.O ministro avaliou que ação da Polícia Militar de São Paulo na rodovia Senador José Ermírio de Moraes, em Sorocaba, que resultou na morte de doze bandidos ligados à facção criminosa, Primeiro Comando da Capital (PCC), foi acertada do ponto de vista de repressão ao crime organizado. "Presumir que esses bandidos eram bonzinhos e que não iam reagir é uma inocência que não podemos ter", analisou, após participar da abertura do Encontro Nacional de logística Militar, em São Paulo.Quintão afirmou que a polícia paulista se mostrou preparada para o enfrentamento dos criminosos, mesmo estando em desvantagem em relação aos armamentos. "A polícia enfrentou aqueles que eram capazes de tudo, até matar e que fique muito claro que esses bandidos não têm nenhum tipo de condescendência quando seqüestram e violentam as suas vítimas", sustentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.