R$ 38 mi para MAC ocupar o Detran

Adaptações para o edifício do Parque do Ibirapuera abrigar museu estão sendo definidas por Oscar Niemeyer

Camilla Rigi, O Estadao de S.Paulo

04 de janeiro de 2008 | 00h00

O prédio que abriga hoje a sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) começa a ser reformado em junho para receber o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP). Um decreto publicado anteontem no Diário Oficial da Cidade já cedeu o imóvel onde hoje está a Subprefeitura da Sé, na Avenida do Estado, para abrigar parte da estrutura do Detran. Segundo o secretário-adjunto de Cultura do Estado, Ronaldo Bianchi, a obra de adaptação do prédio, que fica ao lado do Parque do Ibirapuera, deve ser concluída em junho de 2009. "Vamos investir ali de R$ 32 milhões a R$ 38 milhões. E o MAC será o maior museu com espaço para exposições da América Latina", disse Bianchi. As adaptações no edifício de nove andares estão sendo definidas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que projetou o prédio na década de 50. "No último andar, com acesso independente, vamos ter um restaurante, porque a vista lá de cima é maravilhosa", adiantou a diretora do museu, Lisbeth Rebollo Gonçalves. Ela acredita que o restaurante possa ajudar na arrecadação de verbas para manutenção do MAC. "Não vamos cuidar do restaurante, vamos cedê-lo em consignação." Também no último andar deve ser criado um espaço para pequenos eventos, como lançamentos de livros, coquetéis e seminários. No térreo, haverá um café para acolher os visitantes. "E um andar inteiro vai ser ocupado pelo setor educativo; está prevista até uma área para residência de artistas."O MAC tem cerca de 10 mil quadros e esculturas, levando em conta duas coleções recebidas em comodato, a do falecido marchand Marcantonio Vilaça e a do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, cujas obras estão sob a guarda do museu. "Hoje apenas 1% do acervo é exposto. Com a mudança passará para 15%", calcula o secretário-adjunto de Cultura. Inicialmente, segundo a diretora, serão quatro pavimentos para exposição. "Desde que o museu foi criado, ele luta para conseguir um espaço adequado para mostrar sua especificidade. É um sonho de 44 anos", disse Lisbeth. Como o prédio não foi projetado para abrigar obras de arte, uma nova área circular ligada ao mezanino será criada para receber as mostras contemporâneas. "O edifício é bastante comprido e não tem uma largura ideal para poder receber obras contemporânea mais expandidas", explicou a diretora. A parte administrativa deve ocupar metade ou um andar inteiro, e os anexos devem abrigar a biblioteca, o setor de documentação e a área de manejo das obras. Antes de a reforma começar, o MAC fará um seminário com especialistas franceses em adaptação de espaços históricos para uso museológico. A mudança do museu para o prédio do Detran é a principal ação do Estado para transformar o Ibirapuera em pólo cultural, uma vez que lá já estão o Museu Afro-Brasil, o prédio da Bienal, a Oca e o Auditório. Ainda está em estudo uma nova passagem para ligar o prédio ao parque, para substituir a modesta passarela atual. O Detran ainda não calculou quanto será investido no prédio da Avenida do Estado. O departamento será descentralizado e outros imóveis nas zona sul e leste estão em estudo para receber parte das atividades. Já está definido, porém, que o setor administrativo ficará em prédios nas Ruas João Brícola e Boavista, no centro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.