Rabino Henry Sobel atua no Brasil há mais de 30 anos

Considerado a voz do judaísmo no Brasil, Henry Sobel nasceu em Lisboa em 9 de janeiro de 1944 e é presidente do Rabinato da Congregação Israelita Paulista. Tendo migrado ainda na infância com a família para Nova York, forma-se como rabino na Hebrew Union College Jewish Institute of Religion em 1970, quando recebeu o convite da Congregação Israelita Paulista (CIP) para atuar em São Paulo, radicando-se no País.Tradicional defensor dos direitos humanos, estabeleceu desde então uma ponte entre as religiões cristãs e o judaísmo, participando de inúmeros cultos e eventos multirreligiosos, como em março deste ano, quando comparece à missa pela morte de Dom José Ivo Lorscheiter, bispo emérito e ex-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Atua junto ao Vaticano em diálogos inter-religiosos. Junto ao ex-arcebispo de São Paulo Dom Paulo Evaristo Arns e ao pastor presbiteriano Jaime Wright, atua na década de 80 no projeto "Brasil Nunca Mais", que reúne e torna público documentos sobre a ditadura militar brasileira.Em 2000, explicou à revista IstoÉ o porquê de ter aceito o convite para atuar no Brasil. "Foi um ato de impulsividade sensata, embora na época eu desconfiasse que era uma aventura e tanto?, disse Sobel, para quem o clima, os hábitos e a comida brasileira pouco fizeram diferença.Amante do futebol e defensor da pena de morte, o rabino é casado e tem apenas uma filha, Alisha, de 24 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.