Rabino Sobel é preso nos EUA acusado de furtar gravatas

O presidente da Congregação Israelita Paulista (CIP), rabino Henry I. Sobel, foi preso na última sexta-feira, em Palm Beach, nos Estados Unidos, por três acusações por furto a lojas. O escritório do Xerife do condado de Palm Beach confirmou ao estadão.com.br que ele foi liberado no sábado, após pagar fiança de US$ 3 mil.Um funcionário da loja Louis Vuitton teria acionado a polícia por volta das 12h30 (horário local), alertando sobre um consumidor suspeito, informa o jornal Palm Beach Daily News. Uma câmera de vídeo teria flagrado Sobel furtando uma gravata de US$ 680. O rabino foi preso na rua nas proximidades da loja e ofereceu-se para pagar as gravatas. Segundo a polícia, ele admitiu o furto e não ofereceu resistência à prisão.Na bolsa de Sobel a polícia encontrou quatro gravatas das marcas Louis Vuitton, Giorgio´s, Gucci e Giorgio Armani. Ele foi preso e levado no mesmo dia à Penitenciária Central de Palm Beach, local onde ficou o casal Sônia e Estevan Hernandes, bispos da Igreja Renascer, quando foi preso entrando nos Estados Unidos com US$ 10 mil não declarados à alfândega.Procurada pelo portal estadão.com.br, a CIP disse que não pode confirmar se o rabino está nos Estados Unidos. A assessoria da entidade diz que ficou sabendo da prisão através da imprensa e que irá se manifestar até a sexta-feira sobre o fato, após ter a versão do rabino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.