Racionamento de água em SP começa hoje

Começa hoje o racionamento de água para 300 mil moradores das cidades de Cotia, Embu, Embu-Guaçu e Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. Eles são abastecidos pelo Sistema Alto Cotia, que estava ontem com 28% da capacidade de armazenamento. A medida atinge também os bairros Chácara Everest, Chácara Margarida e Recanto das Rosas, em Osasco, e parte do Jardim Rosemary e do Parque Suburbano, em Itapevi, abastecidos por reservatórios da região de Cotia. O corte de água começa às 15 horas de hoje, com o fechamento dos reservatórios que abastecem vários bairros para os quais a interrupção vai durar até as 23 horas de quarta-feira. Isso significa 32 horas sem abastecimento. Nas 40 horas seguintes, o fornecimento de água será normal.No ano passado, de abril a setembro, 380 mil moradores da região de Cotia haviam passado pelo racionamento. Desta vez, 80 mil pessoas estarão fora do rodízio porque estão sendo abastecidos pelo Sistema Guarapiranga, por meio de bombas instaladas no Jardim Arpoador e no Butantã, na capital.Segundo a Sabesp, o motivo do racionamento é a falta de chuvas. O rodízio é a alternativa para evitar o esvaziamento das represas do Sistema Alto Cotia.De acordo com a empresa, para se ter uma idéia, de outubro de 2000 a fevereiro deste ano, a ocorrência de chuvas abaixo da média significou a falta de reposição de 6,5 milhões de metros cúbicos de água no sistema. Essa quantidade corresponde a 46% do volume operacional do sistema.Horas - Para o funcionamento operacional do corte de água, a Sabesp criou três grandes blocos de setorização. Cada bloco é formado por dezenas de bairros das cidades afetadas. O fornecimento de água será sempre interrompido às 15 horas do dia anterior ao indicado para faltar água e normalizado às 23 horas do dia indicado na escala do rodízio.Em Cotia, os primeiros bairros a entrarem no racionamento, além do centro da cidade, são Chácara Atalaia, Chácara Roselância, Chácara Vista Alegre, Chácara Novo Horizonte Colinas de Cotia, entre outros. A relação completa dos bairros pode ser consultada no site www.sabesp.com.brDe acordo com a empresa, a normalização do abastecimento ocorrerá logo após a reabertura dos reservatórios. Em alguns bairros, principalmente os localizados em pontos mais altos e distantes dos reservatórios, a recuperação pode levar de quatro a seis horas.A Sabesp esclarece dúvidas pelo telefone 195. O atendimento é 24 horas e a ligação, gratuita.Leia Também:EM ESTADO DE ALERTARacionamento na capital é "iminente"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.