Racionamento pode não atingir vizinhos de hospitais e bombeiros

Uma parcela da população poderá ficar livre dos apagões na segunda fase do racionamento. Como o programa vai dar prioridade aos setores essenciais (abastecimento de água, hospitais, segurança pública, bombeiros, transporte coletivo e órgãos de comunicação), quem mora nas proximidades também não terá desligamento. Segundo o gerente de operações da Eletropaulo, Antoninho Borghi, não há condição de desligar toda uma região e manter apenas alguns estabelecimentos abastecidos, pois a distribuição é feita por meio de circuitos.Um exemplo, diz Borghi, é o Hospital Santa Catarina, localizado perto da Avenida Paulista, em São Paulo. Para mantê-lo funcionando, seria necessário deixar quase metade da avenida - do fim da Avenida Vergueiro até o Shopping Paulista - com energia. Para o engenheiro e assitente da presidência da Bandeirante, Roberto Mario Di Nardo, no entanto, o rodízio de desligamentos de energia não seria problema.De acordo com ele, a distribuidora pode deslocar alguns circuitos para oferecer energia apenas para determinados consumidores. No caso dos semáforos da região apagada, porém, não existe solução: serão desligados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.