Radar reprime prostituição em São Vicente

A prefeitura de São Vicente, no litoral de São Paulo, encontrou no Código Brasileiro de Trânsito a arma para reprimir a prostituição nas vias que cruzam a avenida Presidente Wilson. Radares serão colocados em 13 pontos, fotogrando os veículos cujos motoristas param com o objetivo de abordar prostitutas e travestis. "Nesses pontos, haverá a proibição de estacionar e parar nas esquinas e os carros flagrados nessa situação serão fotografados, multados e as fotos serão divulgadas pela Internet", disse o secretário de Transportes do município, Henrique Simões. A multa será de R$ 100.Segundo Simões, foram feitas várias tentativas para retirar os travestis e as prostitutas do local, mas não deram resultado. "A Presidente Wilson é um cartão-postal da cidade e os transtornos e a confusão causados pela prostituição são grandes", disse ele, informando que a prefeitura recebe muitas queixas de moradores e de pessoas que transitam pelo local. "A polícia não tem como agir para coibir a prostituição e a única forma que encontramos foi impedir as paradas para o assédio".Henrique Simões nega que a idéia tenha sido inspirada na decisão do prefeito carioca César Maia. "Chegamos a consultar a prefeitura do Rio, mas o que estamos fazendo é diferente", disse. A Secretaria de Transportes vai providenciar a sinalização da área, a fim de informar aos motoristas da proibição de estacionar e parar naquelas áreas, alertando-os, ao mesmo tempo, de que serão fiscalizados por radares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.