Radares entram em operação em 3 meses

Os 60 novos radares de trânsito adquiridos pela Prefeitura devem começar a operar nas ruas da capital até o fim de outubro, seis meses depois do prometido inicialmente. A previsão é que eles sejam colocados no perímetro de 100 quilômetros quadrados que restringe a circulação de caminhões das 21 às 5 horas. O secretário Municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, informou ontem que a licitação da compra dos equipamentos está praticamente pronta e que eles serão instalados em até 60 dias. No total, o governo pretende comprar 354 equipamentos desse tipo - 173 radares serão fixos, 26 estáticos móveis e 153 serão barreiras eletrônicas. Atualmente, a capital é monitorada por 40 equipamentos fixos e 100 lombadas eletrônicas. Espera-se arrecadar com os novos aparelhos R$ 557 milhões em multas, 17% a mais que em 2007. Uma das funções dos novos radares é a Leitura Automática de Placas (LAP), que flagra veículos que infringem o rodízio, ultrapassam o limite de velocidade e também os que estão em situação irregular, sem licenciamento. Eles estarão em corredores como Avenidas Sumaré e Vereador José Diniz. A aquisição dos equipamentos foi dividida em três licitações. A segunda etapa prevê contratação de outros 140 radares, embora ainda sem data definida. O valor do contrato para fornecer os radares para a Prefeitura é de R$ 40,2 milhões com duração de 48 meses.Oito empresas entraram na disputa, mas entraves burocráticos atrasaram a aquisição. As pendências jurídicas foram retificadas e, agora, segundo a secretaria, faltam apenas alguns detalhes administrativos.

Marcela Spinosa e Jones Rossi, O Estadao de S.Paulo

29 de julho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.