Radialista Raul Brunini morre aos 90 anos no Rio de Janeiro

Filiado à UDN e depois ao MDB, Brunini foi deputado e secretário no governo de Carlos Lacerda

Alberto Komatsu, da Agência Estado,

14 Junho 2009 | 17h39

O radialista Raul Brunini morreu neste sábado, 13, por falência múltipla dos órgãos, no Rio de Janeiro. Aos 90 anos, Brunini lutava contra um câncer. Seu corpo foi velado neste domingo, 14, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio.

 

Brunini foi deputado estadual e federal e chegou a ser secretário de Estado, no Rio, no governo de Carlos Lacerda. O radialista iniciou sua carreira política pela União Democrática Nacional (UDN) e depois integrou o antigo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), em 1965. Quatro anos mais tarde, foi cassado pela ditadura militar.

Nascido em Rio Claro, interior de São Paulo, Brunini iniciou sua carreira como locutor da Rádio Clube local. Posteriormente, trabalhou na Rádio Clube de Marília, também no interior paulista. Chegou ao Rio após ter vencido o concurso para locutores da Rádio Tupi, em 1941. Até 1945, ele participou de programas de rádio voltados para o entretenimento das tropas brasileiras que foram enviadas à Itália, durante a Segunda Guerra Mundial. Brunini era casado com Neusa Alves Brunini, com quem teve um filho.

Mais conteúdo sobre:
Raul Bruninicâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.