Rapaz acusado de matar 6 taxistas é condenado a mais 49 anos de prisão

Como já havia sido sentenciado a 55 anos, em fevereiro, pena de Luan Barcelos da Silva soma 104 anos de prisão

Elder Ogliari, O Estado de São Paulo

22 de julho de 2014 | 17h39

PORTO ALEGRE - Acusado de matar seis motoristas de táxi em apenas três dias março de 2013, o jovem Luan Barcelos da Silva, 23 anos, foi condenado a 49 anos e 7 meses de prisão no julgamento de dois de seus crimes em Santana do Livramento, na fronteira do Brasil com o Uruguai.

Como já havia sido sentenciado a 55 anos, em fevereiro, por outros três assassinatos, cometidos em Porto Alegre, o réu soma 104 anos e 7 meses de penas de reclusão. Esse tempo poderá aumentar quando for julgado pelo sexto crime, mas, na prática, o condenado ficará no máximo 30 anos na cadeia.

Os assassinatos foram cometidos no final de março de 2013. No dia 28, as vítimas foram três taxistas de Santana do Livramento e no dia 30, três de Porto Alegre.

O jovem foi acusado de usar sempre a mesma estratégia. Ele sentava no banco de trás, disparava contra o motorista e depois recolhia dinheiro e celular. Em depoimento à polícia, Silva disse que precisava levantar dinheiro para pagar o aluguel do apartamento em Porto Alegre. A defesa recorreu ao Tribunal de Justiça contra o sentença pelos três assassinatos da capital e pode recorrer contra as duas condenações de primeiro grau em Santana do Livramento. Silva está preso desde abril do ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
Porto AlegreLuan Barcelos da Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.