Rapaz confessa assalto e diz que músico jogou-se pela janela

O universitário Ricardo Leão Maciel, de 29 anos, apresentou-se ontem à noite à polícia e confessou ter participado da tentativa de assalto que resultou na morte do músico Enã Souza Motta, de 25 anos, do grupo Mambolada. Ele caiu da janela do apartamento, no terceiro andar, do edifício em que morava. Junto com dois comparsas, André Sena e outro de nome não divulgado, que estão foragidos, Maciel procurou Enã a partir de um anúncio do músico, que queria vender um teclado Yamaha no valor de R$ 5,6 mil.No apartamento, situado no Bairro da Pituba, Enã foi dominado por um dos assaltantes, enquanto os outros recolhiam objetos de valor. Num determinado momento, o músico teria conseguido escapar e precipitou-se por uma janela, morrendo na queda. Os três assaltantes ficaram assustados com a reação e fugiram sem levar nada. Maciel deixou cair no local uma agenda de telefones com a qual a polícia localizou seu endereço. Ele só apresentou na 7ª Delegacia de Polícia com um advogado. Ele prestou depoimento e foi liberado em seguida, pois não foi preso em flagrante. A delegada Marita Santana pediu a prisão preventiva do assaltante à Justiça, mas a medida ainda não foi decretada. Ele foi indiciado por tentativa de latrocínio e é suspeito de ter assassinado o músico, jogando-o pela janela do terceiro andar. Em seu depoimento, Maciel disse já haver praticado com os colegas mais dois assaltos do mesmo tipo: os bandidos apareciam na residência de pessoas que anunciavam bens para vender através de jornais e os atacavam. Ao deixar a delegacia, Maciel disse que em momento algum alguém maltratou o músico e, por isso, não entendia por que ele teria se jogado pela janela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.