Rapaz desaparecido no Japão telefona para os pais

Um telefonema feito de Tóquio na tarde desta quinta-feira deu ao técnico de laboratório aposentado João Carlos das Neves e à sua mulher Yoshino Matsumara Neves a certeza de que seu filho único, o estudante Dennis Toshi Neves, que estava desaparecido no Japão desde dezembro de 1996, está vivo.O rapaz, agora com 25 anos, teria aparecido numa reportagem sobre os moradores de rua da capital japonesa, exibida no final de junho pela TV Globo. O drama dos pais, divulgado pelo Estado, ganhou repercussão e foi exibido numa TV japonesa.Pai está com medoDennis viu a matéria e, nesta quinta-feira, decidiu telefonar para os pais. Segundo Neves, ele negou ser o morador de rua mostrado na matéria especial sobre a Copa, apresentada pela repórter Ana Paula Padrão. Os pais viram a reportagem e reconheceram o filho sob a marquise de uma ponte.A família, que buscava Dennis há seis anos, teve reavivadas as esperanças de encontrá-lo. Dennis afirmou que a pessoa mostrada na TV era apenas muito parecida com ele. Apesar da negativa, Neves ainda acredita que as imagens podem ser, mesmo, do filho. Nesta sexta, ao falar com a reportagem, o aposentado estava muito preocupado com o que possa acontecer a Dennis.?Envolvido com jogo?Pelo horário japonês, o filho telefonou às 3h30 da manhã. "Ele está mesmo envolvido com o jogo, e nós temos muito medo." Neves chegou a pedir que nada mais fosse publicado sobre o caso. Depois, mudou de idéia por entender que a divulgação poderá resultar em algum tipo de ajuda para que o filho volte para o Brasil."Ele disse que vai voltar, mas só no fim do ano." Dennis foi embora para o Japão sozinho, com apenas 17 anos, mas com trabalho garantido. Neves assinou um termo de responsabilidade para o filho dekassegui poder viajar. Ele disse que na época era outro pai, cobrava muito e achava que o filho tinha de enfrentar a vida.YakuzaDurante um ano e meio, Dennis deu notícias e mandou dinheiro. Na última remessa, enviou US$ 2 mil para ajudar o pai a comprar um carro, mas revelou que ganhara o dinheiro em jogos de azar. Em novembro de 96, falou com a família pela última vez.No início de 97, Neves reuniu as economias, comprou passagem e foi para o Japão. Durante seis meses, procurou o filho em todos os lugares possíveis. Soube apenas que Dennis tinha se viciado no jogo, que é controlado pela yakuza, a máfia japonesa. Ele chegou a pedir ajuda ao consulado brasileiro e à Cruz Vermelha internacional sem resultados. "Agora, minha luta será trazê-lo para casa", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.