Rapaz é condenado a 51 anos por participação em chacina

Cléber Teixeira, de 24 anos, foi condenado ontem a 51 anos de prisão por ter participado da chacina que deixou três mortos e sete feridos, no interior da Escola Estadual Núcleo Residencial Vida Nova, na periferia de Campinas, em outubro de 1999. A condenação, em regime fechado, ocorreu por um homicídio duplamente qualificado e seis tentativas de assassinato. O julgamento começou pouco depois das 10 horas de ontem e se estendeu por oito horas. Na noite de 6 de outubro de 1999, depois das aulas, quatro homens armados invadiram a escola e forçaram dez estudantes, com idade entre 14 e 20 anos, a deitar no chão. Em seguida, atiraram contra os alunos. Teixeira foi preso como um dos suspeitos e chegou a relatar à polícia que estava atrás do estudante Leonardo Pereira de Souza Barbosa, de 19 anos, uma das vítimas da chacina, porque eram inimigos pessoais. Além de Barbosa, morreram os estudantes Márcia Ramos de Oliveira, de 14 anos, e José Eduardo Alves, de 15 anos. A polícia conseguiu identificar outros dois suspeitos, que estão sendo processados, mas continuam foragidos. O quarto assassino ainda não foi identificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.