Rapaz é executado dentro de escola

Seis dias depois do caso que resultou na morte de um adolescente, em Limeira, interior do Estado, outro crime ocorre numa escola paulista. Desta vez a vítima foi Mário Patrocínio Cerqueira, de 19 anos, baleado na noite de segunda-feira dentro da escola estadual Átila Ferreira Vaz, Diadema, na Grande São Paulo.O rapaz morreu na mesa de cirurgia do hospital público de Diadema. Eram cerca de 21h30 quando dois homens armados entraram no colégio. Eles foram direto à sala da Turma C da 1.ª série e interromperam a chamada que estava sendo feita pelo professor Adilson Leite, de 34 anos.Da porta, os dois homens mandaram Cerqueira sair. O estudante obedeceu. No corredor, perto da porta da sala de aula, recebeu uma segunda ordem: deveria deitar-se no chão. Dois tiros ecoaram na escola. Um dos disparos atingiu uma parede. O outro acertou a cabeça de Cerqueira, que logo foi levado por funcionários do colégio ao pronto-socorro. Como seu quadro era muito grave, o estudante foi transferido para o hospital, onde morreu.Os autores dos disparos fugiram. Segundo a polícia, Cerqueira não tinha antecedentes criminais. Orientados pela Delegacia de Ensino da Secretaria Estadual da Educação, a diretora e os funcionários da escola não comentaram o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.