Rapaz mata pais e duas crianças para ?não deixá-las órfãs?

?Matei as crianças porque não ia deixar elas órfãs.? Foi com essa frieza que Jonílson dos Anjos Moraes, de 20 anos, confessou hoje que, na madrugada de sexta-feira,matou e deixou queimando, no quintal de casa, a tia, o marido dela e os dois filhos do casal, de 10 e 5 anos. Moraes moravacom a família de favor havia um mês, em Magalhães Bastos, zona oeste, e se revoltou porque a tia queria que ele voltasse para oMaranhão, onde nasceu. Segundo a polícia, Moraes é viciado em cocaína e admitiu ter se embriagado antes do assassinato. Deacordo com a polícia, ele pode ser condenado a 60 anos de prisão.O criminoso foi preso por acaso. Por volta de 20h30 de ontem, ele estava num ponto de ônibus, em Senador Camará, nazona oeste, depois de tentar se refugiar na casa de outra tia. Dois policiais militares passaram e desconfiaram do rapaz. Aorevistá-lo, viram que estava sem documentos e tinha dois cartões de banco em nome de Josinete dos Anjos Moraes e JoséEduardo Bacelar Mello, os parentes que matou. ?No momento da prisão, uma pessoa avisou aos policiais que o Jonílson erasuspeito da chacina, e ele foi reconhecido aqui na delegacia?, disse o delegado da 33ª DP (Realengo), Leonilson Ribeiro. Aparentando ser uma pessoa fria e sem se expressar claramente, o assassino contou aos jornalistas que não se dava bem comJosinete e Mello, que, afirmou, o humilhavam e chamava de vagabundo. ?Às vezes, eles arrumavam motivo para falar o que nãodeviam. Não tenho por que me arrepender.? Moraes, que está desempregado, contou que matou primeiro os meninos Vítor, de 10anos, e Matheus, de 5, enquanto dormiam. ?Usei um fio de náilon para enforcá-los. Tinha que fazer da maneira mais silenciosapossível.? Em seguida, foi ao quarto do casal e os golpeou na cabeça com uma pá de obra. ?A mulher ainda tentou reagir?, disseo delegado.A família foi empilhada e queimada nos fundos da pequena casa de quarto e sala. Moraes alegou que ateou fogo nos parentesporque não tinha como enterrá-los. ?Para mim, é um psicopata. Vou pedir ao juiz a internação porque ele não é normal?, disseRibeiro. Moraes teve a prisão preventiva decretada por causa dos quatro homicídios triplamente qualificados.O delegado contou ainda que Josinete usaria a identidade de um tio do Maranhão para comprar a passagem de volta de Moraes,já que os documentos originais do acusado estão retidos com a mãe do criminoso, que também mora no Rio. Ribeiro contou queela não queria que o filho fosse embora, mas não se responsabiliza por ele. O parente foi identificado como Luis Carlos Rodrigues, que a polícia acreditava ser o assassino, porque policiais encontraram o documento em seu nome, com a foto de Moraes, no local do crime.

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2004 | 18h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.