Rapaz que enforcou a mãe é condenado a 13 anos

Equer queria o carro da mãe e um colchão ? o carro serviria para levar o colchão à casa de um amigo, onde ?transaria? com a namorada. Célia opôs-se. Discutiram, o desemprego do filho entrou na conversa, passaram à briga de socos e Equer usou o fio de um ventilador para enforcar a mãe.A descrição, em pormenores, estava em uma carta escrita pelo rapaz após o crime. Hoje, o Tribunal do Júri de Jundiaí condenou Equer Gonçalves Júnior, de 21 anos, a 13 anos de reclusão pelo assassinato da mãe, a portuguesa Célia Maria Guerreiro dos Santos Silva, de 43 anos, no bairro do Engordadouro, no dia 3 de fevereiro de 2002.Os advogados Tarcísio Germano de Lemos e seu filho, Marco Aurélio Germano de Lemos, fizeram a defesa do réu. Criminalistas reconhecidos em todo o Estado, eles consideraram o "caso muito difícil" para a defesa. Após matar a mãe, Equer tentou fugir, levando o talão de cheques dela. Quando estava na Via Anhanguera, pronto para pedir carona, foi preso pela Polícia Militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.