Razoabilidade zero

Acatado pela Justiça de São Paulo na concessão de liminares que dispensam a famigerada inspeção veicular obrigatória, o tal "princípio da razoabilidade" pode criar uma espécie de jurisprudência genérica no Brasil. Falta ao País uma diretriz de bom senso em praticamente todas as suas questões fundamentais. A começar pela família Sarney, nada é muito razoável no noticiário.E nem precisa chegar às páginas da editoria Nacional de escândalos, basta dar uma olhada na cobertura regional das investigações desse rumoroso esquema de corrupção policial em Bauru, aqui mesmo, no Cidades/Metrópole. Em nenhum outro lugar do mundo o corrupto aceita cheque com identificação de "pagamento de propina" no verso, nesse caso dando crédito por extenso à turma do Departamento de Polícia Judiciária do Interior. É muita falta de princípio de razoabilidade, né não? O MINC DE FHCDe volta ao noticiário na pele de pai desse menino que operava com crédito consignado para funcionários do Senado, o deputado Zequinha Sarney (PV-MA) já teve passagens melhores pela posteridade: ele foi uma espécie de Carlos Minc de FHC no Ministério do Meio Ambiente.É RAZOÁVEL?E se os restaurantes, em vez de proibir fumantes, dessem desconto a não fumantes?Pela raizQuando, afinal, Mahmoud Ahmadinejad vai proibir o telefone celular no Irã? Bobagem ficar culpando o Ocidente pela imagem do país no exterior.Antimonotonia Já se fala na USP em convocar para a semana que vem uma espécie de greve da "greve da greve". Do jeito que está, francamente, o movimento vai acabar por decurso de prazo.Não lhe dão ouvido, mas...Pedro Simon ainda está refazendo contas, mas tudo indica que, com seu discurso da última quinta-feira sobre José Sarney, o senador gaúcho tenha atingido a marca do milésimo pedido para que alguém deixe o cargo em Brasília.Há controvérsias!Sabe por que o governador Jaques Wagner, da Bahia, passou a noite de São João em Buenos Aires? Nem eu, mas só se fala disso no Pelourinho!O mal do séculoA tal "campanha midiática" da qual José Sarney se diz vítima foi, na opinião de muitos fãs de Michael Jackson, o que matou o rei do pop.Chumbo grossoHeloísa Helena chamou uma colega vereadora em Maceió de "porca trapaceira". Faz falta alguém assim no Senado!O novo ElvisTem pichação nova nos muros do show biz internacional: "Michael Jackson não morreu!"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.