Readequação das vias

É um absurdo o que está ocorrendo na região da Avenida Luís Carlos Berrini. A CET implantou a Zona Azul nas ruas paralelas e transversais à avenida. Além disso, disponibilizou extensas vagas para motocicletas nas mesmas ruas e proibiu estacionamento em outras. Estabeleceu, ainda, uma série de ruas em que, agora, é proibido estacionar nos dois lados da via. Julgo ser um absurdo essas decisões. Trata-se de uma região com poucos recursos de transporte público e segurança deficiente(tive um carro roubado há poucos dias). E aqui não há grande rotatividade de carros, as pessoas param seus automóveis na rua e ficam o dia inteiro em seus escritórios. O que a Prefeitura quer com isso? A região se tornará um caos, caso essa situação continue.FÁBIO PENTEADO São PauloAdele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, informa que as mudanças na região se referem a uma readequação do sistema viário, com eliminação de vagas permitindo estacionar em um dos lados da avenida e implantação de vagas de Zona Azul no outro lado. Essa área foi escolhida porque há um alto volume de tráfego (1.960 veículos/hora e 160 ônibus/hora apenas nessa avenida) por causa do aumento do número de escritórios e comércio. Com essa medida, a CET pretende proporcionar maior fluidez no trânsito e democratizar o uso do espaço viário com o estacionamento rotativo.O leitor contesta: A resposta da CET não traduz o que ocorre na região. Quanto ao trânsito, tudo continua na mesma. A Zona Azul é apenas mais um meio para onerar os contribuintes - e as vagas estão sempre vazias.Sujeira e descuidoGostaria de pedir a atenção da Prefeitura para a limpeza e manutenção da Praça Amadeu Decome, na Vila Romana. A sujeira está tomando conta de toda a praça e é necessária a poda de diversas árvores. Os galhos de algumas caem com frequência sobre os carros e até sobre pedestres. Por duas vezes ficamos sem energia, por causa da queda de galhos sobre a rede elétrica, sem contar as telhas quebradas. EDIENE DE RAPHAELSão PauloO secretário das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, informa que a Subprefeitura da Lapa está executando o serviço de corte e limpeza na Praça Amadeu Decome. As árvores já foram vistoriadas, mas a subprefeitura precisa esperar que a autorização da poda seja publicada no Diário Oficial do Município, o que deve ocorrer até o final desta semana. A subprefeitura já solicitou novas lixeiras para o entorno da praça. Cobrança indevidaA NET enviou uma cobrança de R$ 37,90 como "complemento da franquia". Entrei em contato com a empresa, que me informou que o valor é referente a uma linha fixa. Mas não tenho e nunca pedi a tal linha. Após longa espera e passando de um atendente para outro, finalmente eles constataram que eu nada devia e que o valor cobrado a mais indevidamente seria creditado na minha conta no mês seguinte. Mas nada foi creditado e a fatura veio com o mesmo débito indevido. O que posso fazer? GIOVANNA CASTELLISão PauloFernanda Piccablotto, da Gestão de Clientes da NET São Paulo, esclarece que, no dia 13 de julho, a empresa agendou a retirada do ponto do NET Fone. A leitora responde: Recebi um telefonema da NET informando que será retirado o ponto do telefone e que serão estornados os valores cobrados indevidamente. Vamos ver se realmente vão cumprir.Esclarecimento: Referente à carta do sr. Ricardo Guerrini (6/7), que cita a presença de menores abandonados na região central da cidade de São Paulo, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) informa que vem trabalhando no local para amenizar a situação.Os Agentes da Central de Atendimento Permanente e Emergencial (Cape), órgão vinculado à SMADS e que pode ser acionado pelo telefone 156, atuam 24 horas por dia para abordar e encaminhar os menores em situação de vulnerabilidade para os Centros de Referência da Criança e do Adolescente, que têm como objetivo direcioná-los ao convívio familiar e à rede de proteção social da secretaria. O problema é que os menores em situação de rua insistem em permanecer em via pública e recusam o atendimento social. O trabalho realizado pelos agentes é de convencimento e paciência, pois a rua representa a liberdade e não existe regra, ao contrário do que ocorre nos serviços socioassistenciais da Prefeitura, onde é proibido beber e fumar, por exemplo. Assessoria de Imprensa Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento SocialAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.