Rebelião de presos em GO tem 300 reféns

Os 286 presos da Casa de Detenção Provisória, em Aparecida de Goiânia (GO), estão rebelados desde o início da tarde. Eles aproveitaram o dia de visitas para uma tentativa de fuga em massa e fizeram quase 300 reféns - sendo dois agentes penitenciários e 245 familiares adultos mais uma quantidade não informada de crianças. De acordo com o assessor de comunicação da polícia militar, major Carlos Antonio Elias, o clima do início da rebelião foi tenso, mas agora está mais calmo e as negociações já foram iniciadas.Segundo o major, não há informações sobre feridos, mas o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) já está de prontidão para eventualidades. O secretário de Segurança Pública de Goiás, Demóstenes Xavier Torres, está no local da rebelião negociando com os detentos.O agente penitenciário Sérgio Vitoriano da Conceição, que se encontra muito ferido, ainda não foi liberado. Ele foi amarrado pelos presos num portão. O outro agente refén é Luiz Antônio Alves. A polícia está negociando a retirada de feridos e informou que será estabelecido um horário para o término da rebelião. Se a situação não for resolvida dentro desse prazo, as negociações serão interrompidas e continuarão somente amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.