Rebelião é retomada em Pirajuí; oito reféns

Uma nova rebelião de presos eclodiu hoje em Pirajuí, no interior de São Paulo, menos de 24 horas após a série de motins que atingiu 29 prisões em 22 cidades do Estado. Por volta das 14h30, oito agentes penitenciários foram tomados como reféns e obrigados a abrir as celas e as ligações com a Penitenciária 1. Os 800 detentos foram para o pátio, onde exigem um telefone celular e a presença de alguma autoridade para negociar. Entre os rebelados existem seis integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), organização que liderou as rebeliões.A tropa de choque da polícia militar foi para a frente do presídio e aguarda ordens para agir, caso não se chegue a um acordo para a volta às celas.Na Penitenciária 2, onde a rebelião começou no domingo e só terminou segunda-feira, 20 presos foram transferidos hoje para Bauru. Dez deles para a Penitenciária 1 e outros dez para a Penitenciária 2, onde não ocorreram rebeliões.Na revista aos presos logo depois do término do levante, a Polícia Militar encontrou mais de 200 armas, entre estiletes, barras de ferro e pedaços de pau. Um funcionário disse que a Coordenadoria dos Estabelecimentos Penais do Estado ordenou aos diretores e funcionários para não prestarem informações à imprensa, principalmente até que toda a situação se acalme e estejam concluídos os levantamentos sobre a rebelião do final de semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.