Rebelião em Franco da Rocha (SP) deve durar toda a madrugada

A rebelião dos mais de 1.000 presos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, situado na Rua Marcos Vinícios Donadel Goes, na Vila Industrial, deve durar toda a madrugada desta terça-feira. Um total de 16 pessoas é feito refém pelos amotinados, que deram início à rebelião às 19h de segunda-feira. Inicialmente, eram 17 os reféns, mas um deles foi libertado, juntamente com um interno. Feridos, ambos precisaram ser medicados, mas passam bem.Segundo a Secretaria das Administrações Penitenciárias (SAP), as negociações com os rebelados são feitas por grupo especialmente formado para este tipo de evento. Homens do 26º Batalhão de Polícia Militar disseram que todas os carros policiais que cercavam o prédio deixaram o local a pedido da própria direção do CDP. Um interno, identificado como Cléber, suposto líder do presídio e membro do Primeiro Comando da Capital(PCC), negocia em nome dos rebelados.A assessoria de imprensa da SAP disse ainda que não há informações sobre reivindicações dos presos e que, a princípio, eles não portam armas de fogoNeste momento, apenas os agentes penitenciários fazem a segurança do presídio e as negociações continuam nesta madrugada. O Centro de Detenção Provisória de Franco da Rocha tem capacidade para 864 presos, mas abriga atualmente 1.192.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.