Divulgação|Amapergs
Divulgação|Amapergs

Quatro detentos morrem em rebelião no Rio Grande do Sul

Eles protestam contra a paralisação de servidores da Superintendência de Serviços Penitenciários, que impede a visita de familiares

Luciano Nagel, O Estado de S. Paulo

21 Dezembro 2016 | 12h07

PORTO ALEGRE - Quatro detentos morreram, na manhã desta quarta-feira, 21, após uma rebelião no Presídio Estadual de Getúlio Vargas, na região norte do Rio Grande do Sul. Por volta das 8h da manhã, os presos colocaram fogo em colchões em protesto contra a paralisação dos servidores da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), que impede a visita de familiares aos detentos.

Os bombeiros foram acionados para conter as chamas. Por volta das 10h da manhã, a situação já estava controlada.

As mortes foram confirmada pela assessoria de imprensa do órgão estadual, no entanto, os nomes das vítimas não foram divulgados. Segundo a Susepe, outros oito detentos passaram mal após inalar fumaça e foram encaminhados em ambulâncias para o hospital do município.

O Presídio Estadual de Getúlio Vargas tem uma população carcerária de 120 detentos, que cumprem pena em regime fechado e semiaberto. Na terça-feira, 20, protestos dentro de presídios de Uruguaiana e São Borja, na fronteira oeste, também foram registrados.

Mais conteúdo sobre:
PORTO ALEGRE Rio Grande do Sul São Borja

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.