Rebelião em presídio mineiro já dura 24 horas

Os cerca de 70 presos que iniciaram na manhã de sexta-feira rebelião em um dos pavilhões da Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba, a 255 quilômetros de Belo Horizonte, seguem mantendo, até as 13h de hoje, 30 carcereiros como reféns e sob ameaça de morte. Segundo a Polícia Militar, um dos carcereiros, Washington Oliveira Dimas, de 22 anos, conseguiu escapar durante a madrugada saltando do telhado do pavilhão, de uma altura de seis metros, e não ficou ferido.Um grupo de 150 homens da PM mantinha-se do lado de fora do presídio, enquanto o secretário-adjunto de Justiça de Minas, Weber Americano, e o juiz da Vara de Execuções Penais José Geraldo Emérito tentavam negociar com os detentos a libertação dos reféns.Os líderes da rebelião exigem a demissão da diretoria da Penitenciária e também a suspensão da transferência de 14 detentos para a unidade prisional Nelson Hungria, na região metropolitana de Belo Horizonte. O movimento, de acordo com a PM, foi iniciado justamente por presos que fizeram uma rebelião na Nelson Hungria, há pouco tempo, e conseguiram transferência para a Penitenciária de Ipaba. Um detento identificado como Luiz Antônio, porta-voz dos rebelados, disse que havia comida e água suficiente para que o grupo permanecesse controlando o pavilhão e os reféns, amarrados com cordas, até que as reivindicações fossem atendidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.