ErikaWittlieb / Pixabay
ErikaWittlieb / Pixabay

Rebelião liderada por detentos brasileiros deixa 10 mortos no Paraguai

Incidente tem relação com o assassinato, na sexta-feira, de dois presos no presídio Tacumbú, em Assunção, segundo as investigações

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2019 | 02h52

ASSUNÇÃO - Uma rebelião liderada por detentos brasileiros deixou 10 internos mortos e 10 feridos em uma prisão de San Pedro, no Paraguai, anunciou o Ministério do Interior paraguaio no último domingo, 17.

"Houve um confronto entre membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Clã Rotela, duas temidas organizações criminosas", afirmou Juan Villamayor. "Todas as vítimas pertenciam a grupos ligados ao narcotráfico."

O PCC é uma organização criminosa com origem no estado de São Paulo, enquanto o Clã Rotela é formado por traficantes dos dois países, segundo autoridades.

A rebelião começou ao meio-dia e se estendeu por cerca de três horas, no momento em que havia poucos guardas. O incidente tem relação com o assassinato, na sexta-feira, de dois detentos no presídio Tacumbú de Assunção, segundo as investigações. Entre os mortos neste domingo, cinco foram decapitados e três, calcinados, descreveu o ministro. Outros quatro internos se encontram em estado delicado, e seis estão em observação.

O PCC começou a se infiltrar na zona fronteiriça do nordeste paraguaio por volta de 2010, em busca do controle do tráfico de drogas e armas, segundo a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad). Militantes do PCC estão distribuídos por várias prisões do Paraguai. Autoridades acreditam que eles tenham somado membros locais. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.