Rebelião na Febem-SP termina com fuga e feridos

Terminou por volta das 3h30 desta madrugada mais uma rebelião em unidades da Fundação para o Bem-Estar do Menor (Febem), em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Desta vez motim aconteceu na Unidade Educacional (UE) -29, conhecida como "Franquinho", no antigo prédio do 26º Batalhão, a menor e a mais antiga delas, localizada na Estrada do Governo, s/nº, no bairro de Pouso Alegre.No início da rebelião, às 23h40 de ontem, pelo menos 65 menores faziam seis monitores reféns; um deles, com ferimentos na cabeça, foi liberado e encaminhado ao Pronto-Socorro de Franco da Rocha. Os internos atearam fogo em colchões, cobertores, móveis e tudo o que estava em posse deles. O clima ficou muito tenso na unidade após cinco internos, de modo ainda não esclarecido, conseguirem escapar da ala do seguro, onde ficam os jurados de morte (menores infratores que cometeram crimes que ferem a ética interna dos adolescentes, como estupros).O grupo de cinco menores conseguiu fugir da unidade durante a rebelião e, por isso, não foi pêgo pelos rebelados. Viaturas da Polícia Militar cercaram toda a área da Fraquinho para evitar novas fugas. Os demais monitores que eram mantidos reféns foram liberados, nenhum deles com ferimentos graves. Os Bombeiros enviaram um caminhão-tanque para combater os focos de incêndio.RotinaEm menos de três dias, a Febem de Franco da Rocha teve várias ocorrências em suas unidades. No início da tarde de domingo, 121 internos da UE-30 fugiram. No início da madrugada de domingo, oito deles seqüestraram dois policiais do Corpo de Bombeiros após ficarem escondidos em um matagal e invadirem o Centro de Treinamento da Corporação. Os infratores fugiram em direção ao município vizinho de Francisco Morato, onde dois acabaram recapturados. Até ontem, 65 dos 121 fugitivos haviam sido recapturados. Os 229 internos da Unidade 31, que será reformada, foram levados para a 30. Houve princípio de tumulto na transferência, controlado pela Polícia Militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.