Rebelião na Febem termina com dois internos feridos

A aparente tranqüilidade naFundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem) está caindo porterra. Depois de mais de um ano sem rebeliões graves - a últimaocorreu em março do ano passado, quando houve um morto e dezenasde feridos - o clima de insegurança volta a atingir ainstituição. Hoje ocorreu uma rebelião no Complexo do Tatuapé,na zona leste de São Paulo. Dois internos ficaram feridos e doismonitores foram tomados como reféns durante uma hora e meia. Nofim de semana passado, ocorreu um motim em Franco da Rocha.O conflito de hoje teve ínicio às 14 horas na UnidadeEducacional 13 do Tatuapé. Dos 60 menores da ala, 20 seenvolveram na rebelião. Esse compartimento é formado por jovensconsiderados mais perigosos, pois são reincidentes em diversasinfrações e vieram de Parelheiros, na zona sul. Um grupodestruiu um vaso sanitário para utilizar os estilhaços comoarmas e retirou dois internos do seguro - onde estão os juradosde morte. De acordo com funcionários, a intenção da rebelião eraprovocar uma fuga. Dois monitores tentaram intervir e acabaramsendo tomados como reféns.A situação só foi normalizada quando a Polícia Militarentrou em ação. Os reféns foram libertados e os dois menorestiveram ferimentos leves, um no rosto e outro no pescoço. Ambosforam encaminhados ao Pronto-Socorro do Tatuapé. Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários daFebem, Antônio Gilberto da Silva, a partir de terça-feira haveráreuniões para discutir a possibilidade de greve da categoria noinício de agosto. "A realidade está sendo maquiada. Não hásegurança para trabalhar", afirma Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.