Rebelião na penitenciária de Martinópolis continua

A rebelião na penitenciária de Martinópolis, no interior de São Paulo, que começou na tarde desta quarta-feira continua. Trinta pessoas ainda são mantidas reféns mas não há informações sobre feridos. O diretor da unidade, Antônio Sérgio de Oliveira e outros dois promotores retomaram as negociações às 7h30 de hoje. Os presos ainda não apresentaram suas reivindicações, mas provavelmente, segundo a assessoria da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado, será a transferência dos presos para outro local.O tumulto surgiu após uma tentativa de fuga promovida por um grupo de detentos que se encontrava no setor de atendimento jurídico da unidade. Os presos renderam os dois advogados e os agentes penitenciários que os vigiavam para tentar uma fuga. Como não conseguiram deixar a penitenciária, eles dominaram 34 pessoas e deram início a uma rebelião que permanece até o momento. Por volta das 22 horas de ontem, quatro agentes penitenciários foram libertados e as negociações foram interrompidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.