Rebelião no Maranhão termina após 26 horas

Depois de 26 horas de tensão, terminou nesta terça-feira a rebelião de mais de 300 presos da Casa de Detenção do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Os amotinados entregaram as armas (estiletes e lanças artesanais) e libertaram os dois funcionários que estavam mantidos como reféns desde às 10h30 de segunda-feira. Os reféns não apresentaram sinais de ferimentos. Os rebelados exigiram o benefício do livramento condicional para 38 presos. Os representantes do governo, do Judiciário e da comissão de direitos humanos da OAB assinaram um termo de responsabilidade se comprometendo a analisar as reivindicações. O secretário de Justiça e Cidadania Carlos Nina negou atraso nos processos dos presos e anunciou para os próximos 40 dias a inauguração do segundo presídio do Estado com a capacidade para 104 detentos.O presidente da comissão de direitos humanos da OAB-MA, Pedro Jarbas da Silva, estima que pelo menos 120 dos 1.200 presos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas já teriam direito à liberdade condicional. A comissão vai iniciar a partir da próxima terça-feira um mutirão na penitenciária para analisar a situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.