Rebeliões atingem 32 presídios em SP

Além do Carandiru, outros 32 presídios estão enfrentando rebelião, hoje, em todo o Estado de São Paulo, segundo Rogério Vieira, diretor de serviço da Penitenciária de Araraquara. ?O movimento começou na Detenção de São Paulo e se espalhou por todo o Estado?, disse ele. ?Faz parte de um ato sincronizado entre diversas penitenciárias por causa da remoção de cinco líderes dos presos da Casa de Detenção para o Anexo de Taubaté, feita na semana passada?, explicou.Entre os presídios com rebelião estão, além do Carandiru e de Araraquara, os das cidades de Tremembé, São Vicente, Presidente Vesceslau, Avaré, Marília e Hortolândia. De acordo com Vieira, o movimento está sendo pacífico. ?Eles não danificaram prédios e a todo momento pedem calma para a gente?, disse. De acordo com Vieira, todas as rebeliões estão seguindo o mesmo padrão, mantendo reféns ? funcionários dos presídios e familiares que estavam visitando os presos. Ele explicou que a negociação para o fim desse movimento organizado entre os detentos será feita na Capital, entre a Secretaria de Administração Penitenciária e os presos do Carandiru, que iniciaram o movimento.

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2001 | 15h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.