Rebeliões surpreenderam governo

O secretário de Segurança Pública, Marco Vinicio Petrelluzzi, admitiu que a dimensão das rebeliões, chegando a mais de 20 presídios no Estado, surpreendeu o governo. ?Isso pode ter sido combinado anteriormente como forma de reagir à transferência de dez líderes de facções criminosas do Carandiru?, admitiu.O secretário Furukawa admitiu também que a Corregedoria de Polícia do Estado de São Paulo já havia manifestado a existência organizacional dos membros do PCC e que, em virtude da transferência dos dez líderes, a rebelião em bloco já era aventada.?Estamos reagindo com as armas democráticas e jurídicas, pois não dá para trancafiar todos os presos o tempo todo. Hoje, era dia de visita e os familiares têm o direito de visitar os detentos?, esclareceu. ?Historicamente, os presos respeitavam os dias de visitas. Isso é um fato novo que deve ser considerado no futuro?, adiantou Petrelluzzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.