Rebocador que bateu na Guanabara navegava sem luz

Por volta de 21h30, o aerobarco Ilha das Flechas da empresa Transtur estava no meio docaminho entre a cidade do Rio de Janeiro e Niterói, na Baía de Guanabara, quando bateu com o o rebocador da empresa Comtrol, que estava completamente apagado, segundo testemunho de passageiros. ?Quando ele percebeu, já estava em cima e não houve tempo de evitar a colisão?, afirmou o secretário estadual de Defesa Civil, Carlos Alberto de Carvalho, lembrando que o aerobarco navega em grande velocidade. 45 pessoas estavam no aerobarco. O secretário disse que 38 bombeiros em três embarcações e oito ambulâncias foram imediatamente mobilizados para o resgate. As vítimas foram levadas para a Praça 15, no Rio, e encaminhadas para os principais hospitais públicos do Rio: Rocha Maia, Andaraí, Miguel Coutoe Souza Aguiar, que recebeu os casos mais graves. Às 23 horas, segundo Carvalho, todos os passageiros já haviam sido resgatados. Os casos mais graves foram os de duas pessoas que sofreram fraturas nas pernas e sentiam dores abdominais. O secretário da Defesa Civil disse que apesar do forte impacto ninguém ficou preso nos bancos do aerobarco porque eles são feitos de plástico. Contou também que ninguém foi atirado ao mar, pois o aerobarco é fechado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.