Receita de pedágio diminui prejuízo da Viaoeste

A ViaOeste, oncessionária do sistema Castello Branco/Raposo Tavares, conseguiu reduzir o seu prejuízo no ano passado graças a um expressivo aumento nas suas receitas. No seu quarto ano de operação, a empresa teve prejuízo líquido de R$ 13 milhões, 24% menor do que em 2000. A receita da empresa com o pagamento de pedágio alcançou R$ 179,4 milhões, 40% superior à do ano anterior. A receita líquida subiu 32%, atingindo R$ 166,7 milhões. O faturamento líquido cresceu menos do que o bruto porque em 2001 a Viaoeste pagou mais impostos do que no exercício anterior. Mesmo com mais despesas tributárias, a concessionária teve aumento de 45% no lucro bruto, para R$ 82,2 milhões. Em 2001, 14 municípios por onde passam as estradas administradas pela Viaoeste regulamentaram a incidência de Imposto sobre Serviços (ISS) sobre os serviços de exploração de rodovias - em 2001, eram apenas dois. Por causa disso, a empresa repassou R$ 8,9 milhões aos municípios a título de ISS. No ano anterior, o repasse foi de R$ 1,8 milhão.A Viaoeste administra desde março de 1998 um total de 162 quilômetros de estradas. A empresa vai pagar ao governo de São Paulo um total de R$ 402 milhões pelo direito de administrar as vias por 20 anos, mais 3% da receita com pedágio. A empresa tem financiamentos de longo prazo de R$ 247 milhões contratados junto ao BNDES, ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Itaú e Bradesco. Esses recursos estão sendo usados para aportes em obras de infra-estrutura. Segundo a ViaOeste, os investimentos na duplicação da Raposo Tavares estão estimados em R$ 230 milhões. As obras de duplicação, porém, estão paralisadas.PolêmicaA concessão do sistema Castello-Raposo é até agora a mais problemática do Estado de São Paulo. A ViaOeste atrasou a entrega das obras de duplicação da Raposo entre Cotia e Sorocaba. Por causa disso, foi multada pelo governo estadual, que ameaçou retomar a concessão este mês. A empresa está condicionando a retomada das obras à revisão do contrato de concessão.A construção das marginais da Castello foi outra obra polêmica da concessionária. A ViaOeste construiu as marginais no trecho entre São Paulo e Alphaville e começou a cobrar pedágio no ano passado. A população reagiu, protestou e continua a pedir a redução na tarifa.A concessionária tem entre seus acionistas as construtoras Camargo Campos, Nielsen, Queiroz Galvão, Strata, Cowan e Carioca Christiani.

Agencia Estado,

23 de abril de 2002 | 17h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.