Receita destrói máquinas caça-níqueis em Brasília

A Receita Federal destruiu nesta terça-feira, 11, 1.000 máquinas caça-níqueis apreendidas em 2004 na operação "Bingos". As máquinas estavam armazenadas nos depósitos da alfândega em Brasília, e a maioria foi apreendida quando os importadores tentavam entrar com o equipamento no País. As máquinas foram destruídas num ato público, com o apoio do Exército, no regimento dos Dragões da Independência. O uso dessas máquinas é ilegal no Brasil desde 1999. De lá para cá, a Receita já apreendeu 40 mil dessas unidades importadas ou montadas no País com peças compradas no exterior. Antes de 1999, essas máquinas caça-níqueis podiam ser instaladas em casas de bingos. Destruição autorizadaSegundo a secretária-adjunta da Receita Federal, Clecy Lionço, a Receita já destruiu até agora cerca de 35 mil das 40 mil máquinas apreendidas. A Justiça teve que autorizar a destruição, porque os proprietários dos equipamentos entraram com recursos contra a Receita. "Vamos continuar destruindo as máquinas e haverá novas apreensões", disse a secretária, que acompanhou a operação de destruição dos equipamentos. A secretária informou que perícia técnica nas máquinas mostrou que a maior parte delas estava programada para fraudar o resultado. "Além de serem uma contravenção, elas tinham um programa para roubar o jogador. É um duplo crime", disse a secretária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.