Receita faz operação contra sonegação do setor de bebidas

O chefe do serviço de inteligência da Receita Federal, Gerson Schaan, informou esta manhã à Agência Estado que a operação "Catuaba" deflagrada hoje foi um sucesso, com a prisão dos envolvidos num grande esquema de crime organizado para sonegação fiscal no setor de bebidas na região Nordeste. Não houve vazamento da operação e os envolvidos foram pegos de surpresa com a ação conjunta da Receita, Polícia Federal e Ministério Público.Segundo Schaan, já foram presos os principais envolvidos e apreendidas provas importantes do envolvimento das empresas sonegadoras. Os policiais federais e os fiscais da Receita apreenderam dinheiro em espécie, bebidas, documentos, pedras preciosas e até mesmo um avião de uma das empresas.Por motivo de sigilo fiscal, a Receita não pode informar os nomes das empresas e pessoas envolvidas. O chefe do Serviço de Inteligência da Receita informou, porém, que a "empresa-mãe" era engarrafadora de bebidas. A quadrilha é formada ainda por 39 empresas de comércio; 5 de transportes; 7 da indústria industrial; 4 da serviço; 3 do ramo financeiro e um projeto agropecuário.O delegado-substituto da Receita em João Pessoa, Marialvo Laureano dos Santos Filho, informou à Agência Estado que a organização criminosa estava envolvida em lavagem de dinheiro, constituição de empresas "laranjas", corrupção ativa e passiva, falsificação de documentos, selos de bebidas e notas fiscais. A sede da "empresa-mãe" fica na cidade de Patos, na Paraíba.Na operação de hoje, foram presos 29 servidores, a maioria das secretarias de fazendas estaduais. Uma servidora da área administrativa da Receita de Campina Grande, envolvida no esquema, também foi presa. As investigações que culminaram na operação de hoje começaram em 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.