Receita para a infidelidade

Enquanto o PMDB resolveu abrir processo contra prefeitos que apoiam a reeleição do petista Jaques Wagner e deixaram de lado a campanha do companheiro de partido Geddel Vieira Lima, DEM e PSDB não pensam em retaliações. Os comandos dos dois partidos dizem entender a dependência dos governantes municipais em relação ao governo estadual. Para a oposição, o problema é que as dissidências chegam à disputa nacional e prefeitos aderem também a Dilma Rousseff.

, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.