Recém-nascido é encontrado em ribeirão de Belo Horizonte

Ainda com a placenta, o bebê foi salvo por morador das imediações; os pais da criança não foram localizados

Eduardo Kattah, do Estadão,

30 Setembro 2007 | 21h00

Um bebê recém-nascido foi resgatado na tarde deste domingo, 30, do ribeirão Arrudas, em Belo Horizonte. Por volta das 14 horas, moradores do bairro Jardim Industrial viram a criança do sexo feminino amparada apenas por uma pedra nas águas do ribeirão que corta a capital mineira. De acordo com ocorrência da Polícia Militar, ainda com a placenta, o bebê foi salvo pelo morador Tiago Magalhães da Silva, de 22 anos.   Aos policiais militares, Tiago disse que estava comemorando o seu aniversário quando foi acionado por vizinhos. Ele entrou no ribeirão e resgatou a criança. O Arrudas recebe dejetos da região metropolitana. A PM estimou em aproximadamente um metro a profundidade do ribeirão no local onde a criança foi achada.   O recém-nascido foi levado para o hospital São José, segundo a PM. Os médicos precisaram reanimar o bebê, que depois foi transferido para o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) neonatal do Hospital Odilon Behrens. O caso será investigado pela Polícia Civil. Até o início da noite, não havia informações sobre a identidade dos pais da criança.   Pampulha   Um fato semelhante, ocorrido também em Belo Horizonte, chamou a atenção do País para o problema dos recém-nascidos abandonados. No dia 28 de janeiro o ano passado, um bebê do sexo feminino, na época com dois meses de idade, foi resgatado com vida das águas da Lagoa da Pampulha, uma das principais atrações turísticas de Belo Horizonte. A criança estava dentro de um saco plástico, preso a um pedaço de madeira.   A mãe da menina, a ex-vendedora Simone Cassiano da Silva, foi presa e condenada pelo 1º Tribunal do Júri da capital a oito anos de prisão. A criança foi entregue a pais provisórios enquanto sua guarda é disputada na Justiça.

Mais conteúdo sobre:
Bebê Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.