Reciclagem de lixo e saneamento precisam ser melhorados

Relatório da ONU aponta que países América Latina e Caribe atingiram Objetivos do Milênio na disponibilidade de água para os habitantes

21 Agosto 2012 | 12h05

SÃO PAULO - Um dos pontos positivos identificados pelo relatório da ONU "Estado das Cidades da América Latina e Caribe" divulgado nesta terça-feira, 21, é o acesso à água: 92% da população da América Latina e Caribe tem acesso à água encanada, e 98% quando se considera outras fontes do liquido.

Isso significa que a região atingiu a meta estabelecida pela ONU em 2000, no plano conhecido como Objetivos do Milênio.

Por outro lado, o serviço sofre com infraestrutura e uso inadequado: 40% da água tratada é perdida, de acordo com o relatório.

O bom resultado não se repete quando se considera os serviços de saneamento: 16% da população dos países considerados no relatório, ou 74 milhões de pessoas, não tem condições de saneamento adequadas. E apenas 20% das águas residuais passam por tratamento antes do descarte.

O destino do lixo produzido na região - em média, 1 kg por habitante - também preocupa. Apesar da região ter, no geral, um alto índice de coleta - 93% da população tem acesso ao serviço -, de acordo com o relatório a reciclagem e a reutilização do lixo está longe do ideal, apesar dos progressos.

Mais conteúdo sobre:
Caribe América Latina relatório da ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.