Recife toma providências contra ataque de tubarões

Nenhuma praia pernambucana será interditada ao banho, mas ainda nesta semana uma campanha em larga escala na mídia vai tentar conscientizar a população a não entrar no mar nos trechos considerados de maior risco de ataques de tubarão. A decisão foi tomada hoje, numa reunião emergencial do Comitê Estadual de Prevenção e Monitoramento de Incidentes com Tubarões, que também resolveu aumentar o número de placas indicativas do risco de ataques do animal - agora para os banhistas e não mais apenas para surfistas - no trecho do litoral compreendido entre o município metropolitano do Cabo de Santo Agostinho, no litoral sul do Recife, ao município de Paulista, no litoral norte. Nos dois quilômetros da praia de Piedade - no município de Jaboatão dos Guararapes, continuação da praia recifense de Boa Viagem, os guarda-vidas usarão viaturas - como motos e bugres - e embarcações para policiamento na praia e no mar. Nesta área ocorreram os dois ataques neste final de semana, em um período de menos de 24 horas, e quatro dos cinco registros ocorridos neste ano no Estado. Serão retomados ainda estudos sobre os tubarões que circulam entre o Porto do Recife e o Porto de Suape, no Cabo de SantoAgostinho, com pesca do animal e análise das condições climáticas e ambientais do litoral, sob o comando do diretor do Departamento de Pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Fábio Hazin, que preside o Comitê Estadual. Com o antebraço esquerdo e a perna esquerda amputados, o ambulante Valmir Pereira da Silva, 17 anos, disse hoje, no Hospital da Restauração, onde está internado, que o tubarão o pegou por trás, quando ele tomava banho na praia de Piedade, com água pela cintura. Ao passar a mão, o tubarão a mordeu, quase arrancando-a. Ele tentou se defender, chutando com as duas pernas. Uma das pernas também foi abocanhada. O médico que o atendeu, Alexandre Guedes, disse que nenhuma reconstituição pôde ser feita, já que ele chegou praticamente mutilado.A estudante Naiane Cordeiro Bringel, 24 anos, primeira mulher a ser atacada por tubarão, no sábado, na mesma praia, quando se banhava, foi mordida na parte de trás da coxa direita, na nádega direita e em parte do glúteo esquerdo. Ela se submeteu a cirurgia plástica e está fora de perigo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.