Recomeça julgamento de acusado de matar 42 meninos

Recomeçou na manhã desta terça-feira, 24, no salão de eventos do Sesi, em São Luís, no Maranhão, o julgamento do mecânico Francisco das Chagas Rodrigues de Brito, de 41 anos, acusado de ter matado Johnnatan Silva Vieira, de 15 anos, em 2003. As sete testemunhas - duas de defesa e cinco de acusação - começaram a ser ouvidas às 9 horas no segundo dia de julgamento.Entre as testemunhas estão a irmã de Chagas, Eliane Rodrigues de Brito, que irá fazer uma análise psicológica do réu, de sua infância, de como ficou quando a mãe se separou e, mais tarde, quando ela morreu. A outra testemunha é a psicóloga forense Maria Adelaide Caires, uma das autoras do laudo pericial do caso dos "meninos emasculados" - Chagas é acusado de ter matado 42 meninos, de 9 a 15 anos, entre 1991 e 2004. Trinta dos crimes ocorreram no Maranhão e 12 na cidade de Altamira, no Pará. Os outros casos ainda tramitam na Justiça.O primeiro dia de julgamento foi interrompido no final da noite desta segunda-feira, 23, pelo juiz Márcio de Castro Brandão após a exibição de fotos e leitura de trechos do laudo pericial do processo. Durante a apresentação, o acusado manteve-se quase o tempo inteiro de cabeça baixa, sem olhar para o telão. A expectativa do juiz, dos promotores e dos advogados é de que o julgamento possa ser concluído nesta terça-feira.Mudança de versãoDurante depoimento na manhã de segunda-feira, Chagas confessou ter matado o adolescente por asfixia, o que significa que mudou a versão apresentada à polícia na fase de investigação do caso, quando disse que o havia matado com uma pedrada. Ele alegou também que o motivo que o levou a cometer assassinatos em série teria sido o fato de sofrer abusos sexuais na infância e disse não lembrar de como cometeu os crimes. Essa é a estratégia de seu advogado de defesa. Erivelton Lago centrará sua tese nos problemas de infância, alegando a inimputabilidade do réu, o que permitiria a ele não ir para um presídio. (Com Ernesto Batista, de São Luís)

Agencia Estado,

24 de outubro de 2006 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.