Recomeçam negociações em presídio do Rio

As negociações entre a Polícia e presos rebelados na Casa de Custódia de Benfica na zona Norte do Rio recomeçaram agora pela manhã. As conversas estão sendo conduzidas por oficiais da Polícia Militar e haviam sido suspensas ontem à noite, após a morte de um dos reféns que estavam em poder dos presos. O secretário de Administração Penitenciária Astério Pereira dos Santos, informou que pediu à governadora Rosinha Matheus que afastasse os representantes de agentes penitenciários da negociação, por causa da comoção criada pela morte do agente penitenciário, Marco Antônio Borgatte, de 43 anos, com um tiro de escopeta nas costas diante da comissão de negociação. Segundo a secretaria, os presos mantém ainda 23 reféns. Até ontem à noite, quatro reféns havia sido libertados por problemas de saúde. Dezenas de parentes dos presos e dos reféns continuam reunidos na praça em frente à Casa de Custódia, esperando informações. Há informações desencontradas sobre mortos na unidade, que seriam presos das facções rivais ao Comando Vermelho, que comanda a rebelião. No entanto, estas informações não foram confirmadas por nenhuma autoridade. Depois de dois dias de rebelião, os negociadores ainda não sabem a real situação dentro da cadeia, pois não tiveram acesso às instalações internas do presídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.